Menezes

Na melhor decisão que tomou desde que se tornou líder, Luís Filipe Menezes apresentou a sua demissão. Anunciou que não se recandidataria, criticando os militantes que criticaram abertamente a sua liderança. Vamos por partes.

  • É evidente que Menezes se vai recandidatar. Menezes também quer ter um tabu. O processo será mais ou menos assim: não se candidata; depois vai pensar no assunto; não fecha a porta; os militantes (mais ligados ao aparelho, que ele domina) um pouco por todo país, vão, em uníssono, exigir o seu regresso; ele, por respeito aos militantes (leia-se interesses, caciquismos, etc...) volta como grande salvador.
  • Menezes, ao criticar os críticos, revela o quão patética é a sua liderança. Ele que, antes de ser líder, não fez outra coisa. Em relação a Marques Mendes e não só. Lembram-se do "líder frouxo"?
  • Os críticos têm de ir à "liça". Não podem ficar à espera do mal menor como aconteceu nas últimas directas. Pensavam que Mendes ganhava e enganaram-se. Tirar Menezes da liderança, ou o seu grupo, será muito, mas mesmo muito difícil.
  • A Drª Manuela Ferreira Leite tem de se decidir. Ou é uma reserva moral do partido e pretende manter uma certa equidistância em relação ao confronto político, ou vai à luta. As duas ao mesmo tempo, é que não.
  • A liderança de Menezes tem sido péssima. Uma sequela (e como qualquer sequela, pior do que o original) do que aconteceu em 2005. Os resultados das últimas legislativas foram claros. Em 2009 arriscam-se, com esta liderança, a serem catastróficos.
  • O PSD precisa de mudança. Para o bem do partido e do país.

2 Comments:

  1. filomeno2006 said...
    Mariano......¡Toma nota!
    RCataluna said...
    @filomeno2006:

    ahahahahahahahahah

    Creo, todavía, que el PSD es más instable que el PP.

Post a Comment